quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Parlenda, Trava-línguas


Uso do trava-línguas e parlenda na escola

Parlenda vem de parlar s. f., parlenga; palavreado; arenga; tagarelice. É uma reunião de palavras com pouco ou nenhum objetivo e importância. É um palavreado bom de se ler, falar e ouvir. É chamada de trava-línguas, quando é repetida de forma rápida ou várias vezes seguidas, provocando um problema de dicção ou paralisia da língua, que diverte os ouvintes.
Trava-línguas - pede-se a alguém que repita uma parlenda, em prosa ou verso, de forma rápida - ''fale bem depressa '' - ''diga correndo" - ou que a repita várias vezes seguidas

Os trava-línguas fazem parte das manifestações orais da cultura popular, são elementos do nosso folclore, como as lendas, os acalantos, as parlendas, as adivinhas e os contos. O que faz as crianças repeti-los é o desafio de reproduzi-los sem errar. Entra aqui também a questão do ritmo, pois elas começam a perceber que, quanto mais rápido tentam dizer, maior é a chance de não concluir o trava-línguas. Esse tipo de poema pode ser um bom recurso para trabalhar a leitura oral, com o cuidado de não expor alunos com mais dificuldades.


Fontes:

-O livro do trava-língua, Cecília Alves Pinto / Dicionário do folclore brasileiro, Luís da Câmara Cascudo, Global Editora / Enrola-bola - brinquedos, brincadeiras e canções, Francisco Marques e Rubinho Vale / Um tigre, dois tigres, três tigres, Neusa P.Caccese / Quem canta seus males espanta, Theodora Ma. M. Almeida(coord.) - Ed. Caramelo / http://jangadabrasil.com.br/index.htm


-Regina Helena Pranke da Silva, especialista em Educação pré-escolar e professora alfabetizadora do Colégio Israelita Brasileiro, em Porto Alegre, in Revista Nova Escola.


PARLENDAS E TRAVA-LÍNGUAS

Lá vem a lua nascendo
Redonda que nem caroço
Quero que você me diga
se caranguejo tem pescoço.


Meio dia Meio dia,
Panela no fogo,
Barriga vazia.
Macaco torrado,
Que vem da Bahia,
Fazendo careta,
Pra dona Sofia.


Fui na lata de biscoito

Tirei 1, tirei 2

tirei 3, tirei 4

tirei 5, tirei 6
tirei 7, tirei 8
tirei 9, tirei 10


Cadê o toicinho daqui?
O gato comeu
Cadê o gato?
Foi pro mato.
Cadê o mato?
O fogo queimou.
Cadê o fogo?
A água apagou.
Cadê a água?
O boi bebeu.
Cadê o boi?
Foi amassar trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Foi botar ovo.
Cadê o ovo?
O padre bebeu.
Cadê o padre?
Foi rezar a missa.
Cadê a missa?
Já se acabou!

Jacaré foi a feira,
não sabia o que comprar…
Comprou uma cadeira,
para comadre se sentar…
A comadre se sentou
A cadeira se quebrou…
Jacaré chorou, chorou,
O dinheiro que gastou….


"O rei de Roma rumo a Madri. "

"O rato roeu o rabo da raposa."

"Rosa vai dizer à Rita que o rato roeu a roupa da rainha."
"O rato roer roía e, a Rosa Rita Ramalho, do rato a roer se ria!"

"O rato roeu a rolha da garrafa da rainha."
"Pia o pinto, a pia pinga.”

“O pinto pia, a pia pinga. Quanto mais o pinto pia, mais a pia pinga”.
"A pia perto do pinto, o pinto perto da pia, tanto mais a pia pinga, mais o pinto pia."
" A pia pinga, o pinto pia, pinga a pia, pia o pinto, o pinto perto da pia, a pia perto do pinto."

"Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato. Pinga a pia, apara o prato, pia o pinto e mia o gato".

"A espingarda destravíncula-pinculá. Quem destravíncula ela, bom destravíncula-pinculador será. "

"Tem uma tatu-peba, com sete tatu-pebinha. Quem destatupebá ela, bom destatupebador será. "
"No cume daquele morro, tem uma cobra enrodilhada. Quem a cobra desenrodilhá, bom desenrodilhadô será."

“No morro chato, tem uma moça chata, com um tacho chato,no chato da cabeça. Moça chata, esse tacho chato é seu?”

“Um ninho de carrapatos, cheio de carrapatinhos, qual o bom carrapateador, que o descarrapateará?”

"Um ninho de mafagafos, com sete mafagafinhos. Quem os desmafagafizer, bom desmafagafizador será."

"Um ninho de mafagafa, com sete mafaguifinhos. Quem desmafagaguifá ela, bom desmafagaguifador será. "

"O Papa papa o papo do pato"

"A batina do padre Pedro é preta."

"O peito do pé de Pedro é preto."

"É preto o peito do pato preto."
"O Pedro pregou um prego na pedra."

"Pedro pregou um prego na porta preta."
"O padre Pedro tem um prato de prata."

"O padre pouca capa tem, pouca capa compra."

"O peito do pé do pai do padre Pedro é preto."

"O padre Pedro deu uma topada na pedra preta."

"Paulo Pereira Pinto Peixoto, pobre pintor português, pinta perfeitamente, portas, paredes e pias, por pouco preço, patrão."

A vaca amarela ...(É um desafio para todos ficarem calados)

1- Vaca amarela, sujou na panela. O primeiro que falar, come tudo dela.

2-Vaca amarela, pulou a janela. Quem falar primeiro, corre atrás dela.

3- Era uma vez, uma vaca amarela. Pulou a janela, sujou na panela.Três comiam, três mexiam. A primeira que falar, come tudo dela.

4- Vaca amarela, pulou a janela. Mexeu mexeu. Quem falar primeiro, come tudo dela. Fora eu, que sou o rei dela.



- O Papagaio come milho.
periquito leva a fama.
Cantam uns e choram outros
Triste sina de quem ama.
-Um, dois, feijão com arroz,
Três, quatro, feijão no prato,
Cinco, seis, falar inglês,
Sete, oito, comer biscoito,
Nove, dez, comer pastéis.


-Eu sou pequena,
Da perna grossa,
Vestido curto,
Papai não gosta.

-Por de trás daquele morro,
Passa boi, passa boiada,
Também passa moreninha,
De cabelo cacheado.

-Era uma bruxa
À meia-noite
Em um castelo mal-assombrado
com uma faca na mão
Passando manteiga no pão.

-A sempre-viva quando nasce,
toma conta do jardim
Eu também quero arranjar
Quem tome conta de mim



- Batatinha quando nasce,
Se esparrama pelo chão,
Mamãezinha quando dorme,
Põe a mão no coração.


Os dedos
Dedo mindinho,
Seu vizinho,
Pai de todos,
Fura bolo,
Mata piolho..



- Enganei um bobo
Na casca do ovo!


- Zé Capilé!
Tira bicho do pé
Pra tomar com café!

- Lá vai uma

Lá vai duas,

Lá vai três,
Três pombinhas a voar,

Uma é minha outra é sua

Outra é de quem pegar.


- Coco pelado

Caiu no melado

Quebrou uma perna

Ficou aleijado



-Uni, duni,tê Uni, duni, tê,
Salamê, mingüê,
Um sorvete colorê,
O escolhido foi você!


- O cochicho
Quem cochicha,
O rabo espicha,
Come pão
Com lagartixa.


- Rei Capitão
Rei, capitão, Soldado, ladrão.
Moça bonita
Do meu coração.


- Fui à feira
Fui à feira comprar uva.
Encontrei uma coruja,
Pisei no rabo dela.
Ela me chamou de cara suja.



- Sol e chuva, casamento de viúva.
Chuva e sol, casamentode espanhol.


- Papagaio louro

Papagaio louro
Do bico dourado
Leva essa cartinha
Pro meu namorado
Se tiver dormindo
Bate na porta
Se tiver acordado
Deixe o recado.


- Perna de pato

Entrou pela perna do pato,
Saiu pela perna do pinto.
O rei mandou dizer
Que quem quiser
Que conte cinco: Um, dois, três, quatro, cinco


-Salada, saladinha
Bem temperadinha
Com sal, pimenta
Um, dois, três.


-Quem é?
É o padeiro
E o que quer?
Dinheiro
Pode entrar que eu vou buscar
O seu dinheiro
Lá embaixo do travesseiro

-Pedrinha
Pisei na pedrinha,

A pedrinha rolou
Pisquei pro mocinho,
Mocinho gostou
Contei pra mamãe
Mamãe nem ligou
Contei pro papai,
Ele conversou.



Numa tarde ensolarada de domingo
Minha sandália pisou num “cocozinho”
Fiquei toda nervosa
Por ter amassado o coitadinho.








- Passei na pinguelinha
Chinelinho caiu do pé
Os peixinhos reclamaram
Que cheirinho de chulé.

- Carrapato Vai t’embora
Sai de cima do telhado
Deixa (nome da criança) dormir
O seu soninho sossegado.
- O meu nome é José Doce
Sobrenome é melado
Quando chego perto das moças
Fico todo açucarado.


- Andorinha de verão
Leva esse dente podre
E me traz um são.

- Mourão, mourão
Toma esse dente podre
E traz um são.

- Trinta dias tem setembro
Como abril, junho e novembro
De vinte oito só há um.
E os demais são trinta e um.

- A casinha da vovó
Amarrada com cipó
O café tá demorando
Com certeza não tem pó.

- Corre,Cutia
Corre, Cutia,
Na casa da Tia
Corre Cipó
Na casa da Avó
Lencinho na mão
caiu no chão
Moça bonita
Do meu coração.
Um,dois, três.


- Meu galinho quando dorme
Fica numa perna só
De manhã sacode as asas
Faz assim coró co có.


- Hoje é domingo
Pé de cachimbo
Cachimbo é de ouro
Bate no touro
Touro é valente
Bate na gente
A gente é fraco/a
Cai no buraco
Buraco é fundo
Acabou-se o mundo.


- Seu Chico Bode
É um homem de pagode.
Foi por fogo no cachimbo
Pegou fogo no bigode.

- Era meia noite
Noite, noite,noite.
Tinha uma caveira
Veira,veira,veira.
Ela era bonita
Nita,nita,nita.


- No varal de uma sereia
Que se chama Mariana
Vejo um vestido de seda
Prateado de escama.

- Uma pulga na balança
Deu um pulo e foi a França.
Os cavalos a correr
As meninas a brincar,
Vamos ver quem vai pegar.

- Santa Luzia passou por aqui
Com seu cavalinho
Comendo capim
Tira esse cisco
Que caiu aqui.

- Cabra cega de onde veio?
Vim do Pandó
Que trouxeste pra mim?
Pão- de- ló
Me dê um pedacinho?
Não dá pra mim
Quanto mais pra tua avó.

- Lé com lé
Tré com tré
Um sapato em cada pé.


- Tá com frio
Toma banho no rio
Tá com calor
Toma banho no regador.



















































































































































































































































































































































































































































Nenhum comentário: